Pgina Principal

 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Estilo atual: Padrão

Notícias UFS

  • A manhã desta quarta-feira, 13, foi de debate no Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS). O reitor da UFS, Angelo Antoniolli, que concorre à reeleição ao cargo pela chapa Somos Todos UFSQualidade e Compromisso Social, esteve no Hospital para apresentar propostas, ouvir servidores e funcionários e esclarecer as dúvidas expostas.

    A professora Iara Campelo, candidata a vice-reitora, também esteve presente. “A cada quatro anos a UFS se debruça na escolha do seu representante maior, colocamos o nosso nome para que possamos dar continuidade a um trabalho que estamos realizando em prol do desenvolvimento da universidade em todos os seus campi. Essa continua sendo uma gestão pautada na construção coletiva, na inclusão e no diálogo intenso”, disse Angelo Antoniolli.

    De acordo com o reitor, após a homologação do concurso para o HU de Lagarto, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) terá cerca de dois mil servidores federais atuando em Sergipe. “Isso gera emprego e renda e, obviamente, aquece a economia do Estado, pois serão mais de R$ 200 milhões por ano somente em salários pagos”, destacou. “A Ebserh foi estabelecida por um decreto do então presidente da República, e um dos seus princípios é que o atendimento deve ser 100% gratuito, dentro do Sistema Único de Saúde (SUS)”, disse. Angelo Antoniolli.

    Destaque

    O reitor ressaltou ainda algumas das ações que têm colocado o HU-UFS em destaque. “Como todos têm acompanhado pela mídia, o Brasil foi surpreendido pelos casos de microcefalia. Em um primeiro momento, Universidade Federal de Sergipe, Secretaria de Estado da Saúde e Hospital Universitário, em uma ação conjunta, organizaram um mutirão composto por profissionais de diversas especialidades na área da Saúde para atender a crianças nascidas com suspeita de microcefalia no estado de Sergipe, e esse atendimento continua ocorrendo até hoje, da melhor forma possível, dentro do HU, e com o esforço de diversos profissionais”, reconheceu.

    “O HU vai entrar para a história de Sergipe por ter construído, de forma competente, apesar do pouco tempo que teve, uma matriz para esse tipo de atendimento”, complementou.

    Obras

    Um dos temas mencionados pelos participantes do debate foi a suspensão das obras que abrigarão a Unidade Materno Infantil e o Anexo Hospitalar. “O HU está se tornando um hospital de grande porte. As obras estão suspensas, tivemos problemas sérios com a falência das construtoras que estavam responsáveis por esses prédios, mas continuamos negociando recursos para a conclusão, o que certamente trará melhorias no atendimento prestado à população”, declarou.

    Outros temas abordados durante o encontro foram os esforços para as implantações das residências médica e multiprofissional, além da telemedicina, uma conquista do Hospital Universitário. “Temos clareza dos caminhos que devemos seguir, estamos ouvindo a comunidade, os seus anseios, sempre numa missão clara de que a universidade deve estar na direção da sociedade, para que esta tenha de fato o resultado de uma prestação de bons serviços”, pontuou

    Assessoria de Comunicação do HU

  • A edição do último final de semana do Jornal da Cidade traz a entrevista do reitor Angelo Antoniolli. Veja abaixo.

    UFS deverá investir R$ 100 mi até 2020

    Angelo Antoniolli diz não temer desafios e que as novas metas a serem cumpridas estão pautadas na legalidade e na busca para aproximar ainda mais a comunidade acadêmica da sociedade.

    O reitor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Angelo Antoniolli, está à frente da instituição três anos e será reconduzido ao cargo. Ele é candidato único na escolha do novo reitor nas eleições que acontecerão nos dias 27 e 28 de abril. Nesta entrevista, ele diz não temer desafios e que as novas metas a serem cumpridas estão pautadas na legalidade e na busca para aproximar ainda mais a comunidade acadêmica, formada por 30 mil alunos e três mil servidores, entre professores e técnicos, da sociedade. Angelo fala também da segurança nos campi e da situação em Lagarto e Nossa Senhora da Glória, (Campus da Saúde e Campus do Sertão, respectivamente). Confira a entrevista na íntegra:

    JORNAL DA CIDADE O senhor é candidato à reeleição para reitor da UFS em chapa única. A que atribui não ter concorrentes nesta eleição?

    ANGELO ANTONIOLLI- O nosso trabalho, nesses três anos e meio, deve ter nos credenciado para que lográssemos chegar à consulta perante a comunidade universitária sem nenhuma chapa como concorrente. Evidentemente nós não temos a pretensão de ser unanimidade em torno dos nossos nomes. Sabemos que colegas que devem ter pretendido lançar uma chapa para concorrer com a nossa. Não o fizeram, todavia. A razão disso? eles o sabem. Porém, de qualquer forma, estamos colocando os nossos nomes diante dos professores, técnicos administrativos e alunos. Com humildade e com a esperança de que o nosso trabalho será devidamente reconhecido pela maioria dos que se dispuserem comparecer à votação. Aliás, conclamamos a todos que analisem o que fizemos e o que pretendemos fazer, como está tudo registrado no nosso programa.

    JCQue balanço que o senhor faz dessa atual gestão? O que foi feito?

    AA- Tem sido uma gestão norteada pelos desafios. Mas nós nunca fomos de temer os desafios nem de cruzar os braços diante de prováveis empecilhos. Quem tem compromisso deve procurar seguir em frente. pedras no caminho? Devem ser removidas. trabalho árduo a ser executado? Vamos executá-lo. Nós fomos eleitos, em 2012, para gerir a UFS. É o que temos feito. E é o que continuaremos a fazer. Falando no que foi feito, uma gama muito grande de obras realizadas e sendo realizadas. Novos cursos, na graduação e na pós-graduação, um campus inaugurado (Lagarto) e um campus provisório aberto (Sertão). Obras estruturantes têm sido realizadas, como é o caso da moderna estação de tratamento de efluentes, no Campus de São Cristóvão, prédios departamentais e tantas outras obras.

    JCQuais desafios a vencer e quais metas a serem cumpridas?

    AA- Impulsionar a UFS, acercar-nos muito mais da sociedade sergipana, especialmente nas localidades onde estão situados os nossos campi. Avançar com as questões inerentes ao ensino, à extensão e à pesquisa. Procurar atender os anseios legais e legítimos da comunidade universitária, sem jamais atropelar a lei, como almejam os arautos da demagogia.

    JCQuanto houve de investimentos na UFS em projetos e obras nessa atual gestão? Qual a previsão para a próxima gestão?

    AA - Com respeito a investimentos em obras e instalações, foram destinados no período 2013/2015, R$ 150 milhões. Para a próxima gestão, 2016/2020, estão previstos investimentos na ordem de R$ 100 milhões. Contudo, não nos acomodaremos. Haveremos de buscar mais recursos. Lutaremos por isso sem descanso. E temos certeza de que o nosso trabalho nos credenciará para lograr êxito nessa empreitada.

    JCQuando teremos os campi de Lagarto totalmente pronto? Quantos e quais cursos oferta e quantos alunos estudam nesse campus?

    AA- Ainda não temos previsão de quando estará o campus de Lagarto totalmente concluído, mas estamos nos empenhando para que isso ocorra o mais breve possível. funcionam oito cursos: Enfermagem (214), Farmácia (182), Fonoaudiologia (135), Fisioterapia (199), Medicina (196), Nutrição (167), Odontologia (83) e Terapia Ocupacional (156), totalizando, assim, 1.332 alunos matriculados no ano letivo de 2015.

    JC – E o Campus do Sertão? Quando começam as obras e qual a previsão de inauguração? Quantas vagas e cursos oferta e quantas vagas irá ofertar quando da inauguração?

    AA- Estamos funcionando em caráter provisório. Esperamos iniciar as obras do campus definitivo entre 2016 e 2017, a depender da situação orçamentário-financeira do País. Mas estaremos empenhados para que o MEC nos assegure os recursos necessários. O Campus do Sertão tem hoje quatro cursos, ofertando 50 vagas em cada, no total de 200 vagas. É, sem dúvida, um bom começo. E uma vitória daquela região.

    JCOs campi do interior funcionam a contento?

    AA- Em parte, sim. , porém, estruturas que precisam ser melhoradas, como é o caso de Itabaiana, ou melhormente aproveitadas, como é o caso de Laranjeiras. O campus de Lagarto continuará a ser edificado no que falta. E o campus definitivo do Sertão haverá de ser iniciado no tempo devido.

    JC – Como o senhor avalia a segurança nos campi e o que foi feito e o que está sendo feito para melhorar? Como é feita a segurança nos campi? Quantos vigilantes? Quantos motorizados?

    AA- Com o universo de pessoas que compõem a comunidade universitária em relação ao número de ocorrências, especialmente de furtos, podemos assegurar que a segurança na UFS é boa, embora precise sempre melhorar. Nada deve bastar quando se procura alcançar resultados positivos, como é o que nos acontece. Todavia, quando ocorre alguma situação merecedora de uma atenção especial, como duas que ocorreram este ano, nós tomamos as providências cabíveis junto às autoridades competentes. Não nos furtamos em procurar assegurar a tranquilidade aos nossos professores, técnicos administrativos e estudantes. A UFS possui em seus campi 49 postos de vigilância resultando em um total de 98 vigilantes de empresa terceirizada, sendo que oito vigilantes motorizados no campus de São Cristóvão e oito vigilantes no campus de Lagarto, os demais campi não possuem vigilantes motorizados devido às suas estruturas físicas. Possuímos ainda 22 vigilantes do quadro efetivo da UFS, porém estes são desarmados. A UFS tem buscado o emprego de tecnologias, a exemplo de 200 câmeras de alta definição para monitoramento eletrônico, um investimento aproximado de R$ 1,5 milhão e instaladas no Campus de São Cristóvão, e a melhoria da iluminação, reduzindo a altura de 42 postes e instalados 303 novos postes em que foram investidos R$ 4.356.677,30, buscando, assim, melhorar a visibilidade dentro da nossa universidade. Encontra-se em fase de finalização um projeto de instalação de aproximadamente dois mil metros de cerca tipo concertina no perímetro do campus, no perímetro que faz divisa com a mata que circunda a UFS. Iremos também realizar uma limpeza nas áreas mais problemáticas do campus e uma intervenção mais acentuada em nossa paisagem, como levantamento de copa e redução destas, melhorando assim a visibilidade de nossos vigilantes patrimoniais e da polícia no momento das rondas que serão realizadas dentro do campus. Com as reuniões realizadas com a SSP, será reforçado o policiamento no entorno da UFS, haverá manutenção de ações da Polícia Federal com rondas em horários alternados no interior do campus e ronda da Polícia Militar, sendo que esta última ação será definida na próxima segunda-feira, dia 11, com o capitão Alcântara, do Município de São Cristóvão.

    JC – A UFS tem quantos alunos? E quantos professores e funcionários? perspectivas de crescimento? Em quanto?

    AA- A UFS tem em torno de 25 mil matriculados na graduação presencial e de 3.600 na graduação a distância. Temos ainda 2.740 alunos na pós-graduação. A Universidade Federal de Sergipe possui, atualmente, 1.456 professores e 1.478 servidores técnico-administrativos. A perspectiva de crescimento para os próximos anos está diretamente relacionada às pactuações estabelecidas entre o MEC e a UFS, vinculadas aos novos campi, principalmente ao Campus do Sertão, uma vez que o campus de Lagarto, nesse item, encontra-se em fase consolidado.

    JC – A UFS saiu na avaliação do MEC de uma instituição de pequeno para médio porte. Quando chegará a grande porte? O que falta a isso?

    AA- foi uma vitória, fruto de um trabalho sequenciado nos últimos anos, sobretudo a partir das gestões anteriores nas quais ocupamos o cargo de vice-reitor, termos saltado de pequeno para médio porte, como universidade. Quanto ao futuro, deveremos continuar palmilhando o chão de novas vitórias, de novas conquistas. Temos consciência do que somos, do que temos, do que poderemos ser e do que poderemos ter. Para tanto, será preciso continuar lutando. E a luta não é do reitor, não é da chapa que está se colocando à consulta. A luta haverá se der de todos que zelam pela UFS. Afinal, “Somos Todos UFS”.

    JC – O que representou para a UFS receber o selo de excelência da OAB? Essa honraria surpreendeu? A que o senhor credita o recebimento desse selo?

    AA- Representou a confirmação de que o nosso curso de Direito é top de linha, como dizem os estudantes. Não surpreendeu porque em cinco edições do OAB Recomenda o nosso curso de Direito foi agraciado em todas. Somos, pois, pentacampeões. Os nossos professores e os nossos alunos têm uma qualidade invulgar. O mérito é de todos eles. A eles, os nossos parabéns e os nossos agradecimentos.

    JCSobre a biblioteca da UFS. Quais as condições atuais do acervo e estrutura física? previsão de melhorias para esse espaço?

    AA- O nosso acervo bibliográfico é composto de 76.846 títulos, com 239.349 volumes, além de 6.091 títulos de periódicos e 123.396 fascículos. Constam ainda centenas de dissertações de tese, matérias especiais, relatórios, gravuras e separatas. A comunidade acadêmica pode, ainda, consultar cerca de 30 mil e-books. Em 2015, foram efetivados 411.172 empréstimos e 906.187 usuários estiveram pesquisando na Bicen.

    JCQuantas refeições são servidas diariamente no Resun e quanto custa para o aluno, e para a universidade, cada refeição? Qual o custo de manutenção do Resun e quanto ele tem de receita?

    AA - Diariamente, são fornecidas cerca de quatro mil refeições, distribuídas entre o almoço e o jantar. O aluno paga o valor simbólico de R$ 1,00 por refeição. E cerca de mil alunos que têm isenção do pagamento desse valor. A UFS paga por cada refeição fornecida o valor de R$ 10,40.

    Por: Célia Silva/Equipe JC”.

    Foto: André Moreira/JC.

     

  • Considerando a interrupção do fornecimento de energia no campus de São Cristovão na manhã do domingo (10/04/2016), o que gerou problemas nos equipamentos do NTI e consequentemente a inoperência do sistema SIGAA, a Coordenação de Pesquisa (Copes) informa aos interessados que o período de submissão de projetos Pibic 2016/2017 foi prorrogado até 12/04/2016 (terça).

    Copes

  • Inscrição vai até 25 de abril; seleção utiliza nota do Enem 2015

  • Podem se inscrever os nascidospartir de janeiro de 2004; inscrição vai até 29/4

  • No ápice da crise dos 20 anos, como o próprio estudante define, Victor Silveira, de Engenharia Ambiental da UFS, viu a necessidade de partir rumo a uma experiência de descobertas, respostas e novos aprendizados. Para isso, elegeu um intercâmbio diferente, que não tem um cunho exatamente acadêmico nem cultural. O jovem partiu para o Peru com o intuito de desenvolver um projeto durante três meses voltado para crianças de 10 a 14 anos. “Eu fui ajudar crianças a criarem pontes de autoconhecimento, autoestima, superação e motivação a fim de erradicar problemas de bullying naquela comunidade”, explica.

  • Inscrições de 2 a 4 de maio

  • A Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (Posgrap) divulga editais de seleção dos três novos mestrados da UFS: Cinemas e Narrativas Sociais, Ciências da Nutrição e Biotecnologia. As propostas de mestrado foram aprovadas em dezembro de 2015 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e esses são os primeiros editais de seleção. Na ocasião, também foi aprovado o doutorado em Ecologia e Conservação.

    Cinema oferta 16 vagas e as inscrições ocorrem de 1° a 18 de abril; Nutrição oferece dez e as inscrições acontecem de 9 a 25 de abril; Biotecnologia oferta 12 vagas com inscrições de 1º a 29 de abril.

    Veja mais detalhes abaixo.

    Cinema e Narrativas Sociais

    Com duas linhas de pesquisa, “Cinema, Linguagem e Relações Estéticas” e “Cinema e Narrativas do Contemporâneo”, os interessados devem efetuar inscrição exclusivamente via internet, e entregar a documentação descrita no item 2.4 do edital no mesmo período (impresso e digital).

    Das dezesseis vagas ofertadas pelo PPGCINE, 14 (quatorze) serão destinadas a toda comunidade e 02 (duas) aos servidores do quadro efetivo da UFS, de instituições de ensino e pesquisa públicas federais e Fundações, de acordo com Convênios de Cooperação Técnica mantidos com a instituição. Todas elas destinadas  a portadores de diploma de graduação reconhecidos pelo Ministério da Educação.

    Confira o edital de vagas para a comunidade.

    Confira o edital de vagas institucionais.

    O processo de seleção para o mestrado interdisciplinar em Cinema e Narrativas Sociais consiste em cinco etapas (projeto de pesquisa, prova escrita, entrevista, prova de proficiência em língua estrangeira e análise de currículo Lattes), com datas e pesos descritos no edital.

    O resultado do Processo Seletivo será expresso pelo total de pontos obtidos em cada uma das etapas, sendo classificados os candidatos aprovados, em ordem decrescente, em conformidade com o número de vagas de cada linha de pesquisa.

    Ciências da Nutrição

    O mestrado em Nutrição também trabalha com duas linhas: “Nutrientes, Compostos Bioativos e Controle de Qualidade dos Alimentos” e “Saúde e Nutrição de Grupos Populacionais”. Os interessados devem efetuar inscrição exclusivamente via internet, e entregar a documentação descrita no item 2.3 do edital no mesmo período (impresso e digital).

    As dez vagas ofertadas pelo PPGCNUT serão destinadas a comunidade, portadora de diploma de graduação reconhecido pelo Ministério da Educação.

    O processo de seleção para o mestrado em Ciências da Nutrição consiste em três etapas (prova de conhecimento, defesa oral do projeto e análise do currículo Lattes), com datas e pesos descritos no edital.

    O resultado do Processo Seletivo será expresso pelo total de pontos obtidos em cada uma das etapas, sendo classificados os candidatos aprovados, em ordem decrescente, em conformidade com o número de vagas de cada linha de pesquisa.

    Confira o edital abaixo.

    Biotecnologia

    O mestrado em Biotecnologia (Probio) oferece 12 vagas para comunidade universitária em duas linhas de pesquisa: “Produtos Naturais do Semi-Árido Nordestino” e “Desenvolvimento e Controle de Fármacos e Medicamentos”.

    Os interessados devem efetuar inscrição exclusivamente via internet e entregar a documentação descrita no item 2.4 do edital entre os dias 1 de abril e 3 de maio. O processo de seleção consiste em duas etapas (prova de conhecimento e análise do currículo Lattes), com datas e pesos descritos no edital.

    A comprovação da proficiência em língua estrangeira será exigida no momento da matrícula. A UFS está com inscrições abertas, até o dia 27/04, para realização do Exame de Proficiência em Lingua Estrangeira (Eple). Veja aqui.

    Veja abaixo o edital. Mais informações no site do Probio.

    Ascom

    comunica@ufs.br

  • Competições esportivas abriram a XXIII Jornada Esportiva, Cultural e Científica do Colégio de Aplicação (Jeccca). Os jogos aconteceram no ginásio do colégio e 360 alunos competiram no torneio. Dentre as modalidades disputadas estavam vôlei, basquete, futebol e cabo de guerra. Essa etapa do evento encerrou na última sexta, 1º.  

    Veja as fotos das atividades da última sexta, 1º.

    Agora, as atividades seguem de 5 a 8 de abril quando serão ministradas palestras, rodas de conversa, mini-cursos e oficinas com temas variados no âmbito das diferentes áreas do conhecimento envolvendo alunos e docentes do Codap e da graduação, além de docentes e graduandos de outras instituições, alunos do Pibid e de grupos de pesquisa da UFS.

    A diretora do Codap Marília Menezes Nascimento Souza Carvalho explica que o esporte sempre fez parte do evento. "Desde o seu início, 23 anos, o esporte faz parte da jornada. A Jeccca é um momento de integração, pesquisa e extensão e trabalhar todos os tipos de conhecimento e o esporte tem a natureza de ser um veículo de emoções, com seu caráter lúdico, disciplinador e de superação".

    As turmas competem entre si em todas as modalidades e, a cada vitória, acumulam três pontos. A turma vencedora receberá uma placa comemorativa. A premiação acontece no encerramento da jornada, na sexta-feira, 8.

    Confira a programação da Jeccca.

    Ascom

    comunica@ufs.br

  • O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou em entrevista coletiva nesta sexta-feira, 1º de abril, as diretrizes da Avaliação Nacional Seriada dos Estudantes de Medicina (Anasem), que será aplicada aos alunos no segundo, quarto e sexto anos dos cursos. O objetivo é realizar o monitoramento progressivo da qualidade do ensino de medicina a partir de agosto deste ano.

    A Anasem busca avaliar a incorporação de conhecimentos, habilidades e atitudes necessários a prática médica pelos graduandos durante o processo formativo. A prova será aplicada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) aos estudantes do segundo, quarto e sexto anos dos cursos. Com base na lei do programa Mais Médicos (12.871/2013), a avaliação será um componente curricular obrigatório e condição para a diplomação dos novos médicos.

    De acordo com o ministro, a avaliação tem impacto na qualidade da formação médica no Brasil. “É uma avaliação muito mais completa, que vai ajudar a avaliar tanto o estudante quanto a instituição. É uma avaliação que permite a você corrigir durante o curso da formação. Vamos ter um salto de qualidade no processo de avaliação, sempre buscando aprimorar a formação de médicos brasileiros", disse Mercadante.

    As avaliações do segundo e quarto anos terão caráter formativo, indicando pontos fortes e deficiências. No sexto ano de curso, a prova seguirá os moldes do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida) e os estudantes deverão atingir uma nota mínima para que possam se formar.

    De acordo com o reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e coordenador da Comissão Nacional do Revalida, Henry Campos, a prova avalia o conhecimento teórico e as habilidades clínicas. “Existe uma nota de corte, como é feito no Revalida, e para o estudante exercer a profissão deverá passar da nota de corte”, explicou Campos. “A definição da nota de corte é feita por um painel de especialistas, a cada prova que estabelece qual seria o percentual de acerto esperado para um aluno considerado médio”, concluiu.

    Deverão fazer as provas os estudantes que ingressaram na universidade a partir de 2015. A primeira avaliação, em agosto deste ano, será para aqueles no segundo ano do curso.  

    Revalida

    Ainda na coletiva, Mercadante anunciou o resultado da edição 2015 do Revalida. A avaliação é obrigatória para que médicos que têm diploma expedido por instituições estrangeiras possam exercer plenamente a prática médica no Brasil.

    Criado em 2011, o processo de revalidação passou a ser unificada para 44 universidades federais. Antes do Revalida, cada instituição de ensino superior estabelecia os processos de análise seguindo a legislação.

    A edição de 2015 do Revalida teve o maior número de inscritos da série histórica, cerca 4000 participantes, e aprovou 1.683 médicos, um percentual de aprovação 10% superior ao de 2014; desse total, 54,7% eram brasileiros que se formaram em medicina no exterior.

    O ministro destacou a importância do programa Mais Médicos para o aumento das aprovações. “O grande fator que explica o número de participantes e aprovações foi a experiência vivida no Mais Médicos. Esses médicos eram diplomados, mas com o Mais Médicos eles puderam exercer a medicina com supervisão e formação continuada, e isso contribuiu para que eles melhorassem a sua formação originária”, afirmou.

    Assessoria de Comunicação Social do MEC