Qua, 04 de dezembro de 2019, 16:37

Atleta do CODAP/UFS é destaque em duas categorias na III Etapa do Campeonato Estadual de Badminton
João Araújo conquistou em 2º lugar na categoria Sub-17 e 1º entre Duplas
Whatsapp image 2019 12 04 at 16.42.15

Praticante do segundo esporte com maior número de adeptos do mundo, João Araújo é o único atleta do Colégio de Aplicação (CODAP/UFS) que treina regularmente a modalidade. Aluno do 2º ano B, ele conquistou no último domingo, dia 1º de dezembro, importantes números em sua trajetória competitiva, ao alcançar a 2º colocação na modalidade Masculino/Sub-17 e o título na categoria Masculino/Duplas ao lado de João Matheus de Oliveira (UFS) na III Etapa do Campeonato Sergipano.

O desempenho na competição, cuja etapa final aconteceu no Ginásio Poliesportivo Chico do Cantagalo em Itabaiana, encerra um ano de bons resultados nas competições de que fez parte em 2019. Tendo conquistado o ouro em sua modalidade na etapa anterior, além de ter alcançado o 3º lugar nos Jogos Escolares TV Sergipe e um 2º lugar nos Jogos da Primavera, João revela, ainda com a timidez típica da adolescência, que almeja saltos ainda mais altos em 2020.

“Quero tudo em 1º lugar”, explica, ao completar que, com os intensos treinos na Universidade Federal de Sergipe ao lado de atletas mais experientes, essa é uma meta realizável. João também almeja as competições nacionais: deixando a timidez fora das quadras e demonstrando um jogo aguerrido, espera o ranqueamento atualizado da Federação Sergipana para mensurar a evolução ao longo do ano, mas já possui as credenciais para disputar o Brasileiro no início do ano.

TRAJETÓRIA NO BADMINTON

O jovem badmintonista morador do bairro Rosa Elze, onde fica o campus São Cristóvão da UFS, passou a se dedicar aos treinos tão logo teve conhecimento através de um amigo que a modalidade era praticada regularmente na UFS. Aos 12 anos, começou a “bater peteca”, como brinca, e iniciou a rotina de treinos até que hoje, aos 16, recebe o Bolsa Atleta pelo município de São Cristóvão, sem demais patrocínios.

Esse auxílio, por enquanto, é o único recurso que o jovem atleta conta para custear equipamentos – uma raquete profissional pode variar entre R$ 200 e R$ 600 –, alimentação adequada para preparação e a própria participação nas competições nacionais que almeja para 2020. “Vou esperar a divulgação oficial do local onde o Brasileiro será realizado para saber se o valor da Bolsa Atleta será suficiente para custear viagem e participação”, explica.

João conta com um trunfo caso precise de patrocínio: a projeção que o esporte vem ganhando nos últimos anos, culminando com o inédito ouro conquistado pelo atleta brasileiro Ygor Coelho nos Jogos Pan-Americanos disputados em agosto na cidade de Lima, no Peru. Sua meta, portanto, é buscar essa oportunidade de alçar voos mais altos, competir e trocar experiências com atletas de ponta de outros grandes centros de treinamento do país – tarefa para a qual terá todo apoio e incentivo do Colégio de Aplicação!


Whatsapp image 2019 12 04 at 16.42.14

Thiago Leão*

Marcilio Costa (jornalista supervisor)

* Estudante de Jornalismo da UFS. Esta matéria foi desenvolvida como parte das atividades de Estágio Curricular Supervisionado do curso.


Atualizado em: Qua, 04 de dezembro de 2019, 16:43
Notícias UFS